As trajetórias de vida que se cruzam com a produção do carvão em Candiota

Autores

  • Gustavo Carvalhaes Xavier Martins pontual machado Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)
  • Milena Manhães Rodrigues Universidade de São Paulo (USP)
  • Renato de Oliveira dos Santos Universidade de São Paulo (USP)
  • Nelson Karam Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (DIEESE)
  • Luisa Cruz de Melo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (DIEESE)
  • Laura Tereza de Sá e Benevides Inoue Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (DIEESE)

Palavras-chave:

Transição Justa, Mineração, Candiota

Resumo

A Transição Justa (TJ) vem sendo discutida internacionalmente, em cada país e território e muitas vezes sem participação dos trabalhadores no desenvolvimento dos planos locais. Ainda, os trabalhadores, sua história e cultura, precisam ser incluídos. Para isso foi realizada pesquisa qualitativa em Candiota, Rio Grande do Sul, para conhecer a cultura do carvão a partir das trajetórias de vida dos trabalhadores e atores locais. Foram realizadas 25 entrevistas e observação participante.  As classificações dos dados por análise interpretativa demonstram a cultura da mineração na formação de Candiota, a identidade dos trabalhadores da mineração, a naturalização dos impactos em defesa do carvão, a conjuntura de TJ, a dificuldade nos diálogos entre os atores locais pelo medo coletivo da perda de direitos e caminhos futuros. A partir da devolutiva da pesquisa, os atores locais puderam reconhecer a necessidade do diálogo e da construção de oficinas para debater a TJ em Candiota.

Publicado

2023-12-02