v. 16 n. 1 (2019): Anais do XVI Encontro Nacional de Engenharia e Desenvolvimento Social

UFPA

Belém, Pará, BR

novembro 11, 2019 – novembro 14, 2019

Publicado: 2019-12-01

Tecnologia e inovações sociais

  • Karoline Rodrigues Costa, Amanda de Moraes Motta

    Resumo

    O papel social feminino no Brasil foi historicamente relegado ao lar e à família. Como consequência disso, a história do papel social feminino é marcada por lutas por oportunidades iguais às masculinas em diversos âmbitos, como no mercado de trabalho e de lugar social, por exemplo. Uma ferramenta utilizada nessas lutas é a Tecnologia Social (TS), que alia saberes populares a conhecimentos técnicos e científicos de modo a resolver problemas socialmente relevantes e pleitear inovações acadêmicas. Este trabalho analisou dois estudos de caso de aplicação de TS protagonizados por mulheres: (1) um relato oral de uma mulher protagonista em aplicações de TS no sertão sergipano e (2) a auto-organização de mulheres catadoras de mangaba, também no Sergipe. Foram destacados conhecimentos de engenharia aplicados em ambos os casos, indicando que eles podem ser aliados dos saberes tradicionais na aplicação da TS.

  • Luciana Silva Nascimento, Elvicleide do Nascimento Ferreira, Willis Elielson da Silva Filho, Lucas Silva Pereira

    Resumo

    Segundo dados do Ministério do Meio Ambiente (2018), 1,3 bilhão de toneladas de alimentos são perdidos ou desperdiçados por ano em todo o mundo. Diante da crescente geração de resíduos residenciais, a compostagem doméstica surge como uma alternativa para o tratamento da fração orgânica desse material na fonte, fornecendo um tratamento e destinação correta para esse tipo de resíduo, além de trazer inúmeros benefícios para a saúde humana e o meio ambiente.Este trabalho objetiva demostrar um modelo de composteira doméstica fácil de ser montada e manuseada.

Economia, trabalho, gestão e empreendedorismo social

  • ROBERTA DA CONCEIÇÃO BARBOSA, HENRIQUE DE OLIVEIRA SANTOS VIEIRA JESUS, IÂNICA CÁSSIA SILVA TEODORO, MARIA JOSE CAETANO DO AMARAL, LUCIANA FERREIRA MACHADO

    Resumo

    Este artigo tem o objetivo de identificar as práticas e ações, por parte de gestores de determinados centros e unidades do Campus Fundão da Universidade Federal do Rio de Janeiro, lócus da pesquisa, em direção a Qualidade de Vida no Trabalho. A identificação do Status quo atual, a evolução e impactos dessas ações são observados sob a ótica de trabalhadores da Universidade, público-alvo dessas ações. Os conceitos utilizados são debatidos a partir de autores, em uma breve revisão bibliográfica. A metodologia utilizada para a identificação, ainda em andamento, dessas ações, é feita por meio de mapeamento, sob forma de entrevista e/ou questionário semiestruturado, com os trabalhadores e gestores destes centros e unidades. Dados preliminares apontam práticas esportivas em centros de integração. Espera-se que a pesquisa possa corroborar com a existência de ações permanentes em Qualidade de Vida no Trabalho, voltadas sob forma de benefícios em saúde aos trabalhadores da Universidade.

  • Emile Lebrego Cardoso, Hélio Raymundo Ferreira Filho, Vanusa Carla Pereira Santos

    Resumo

    Empreendimentos Econômicos Solidários (EES) como as cooperativas e associações de catadores de materiais recicláveis inserem os associados (trabalhadores) informalmente no mercado de trabalho, promovendo geração de renda e melhor qualidade de vida. O modo de organização dos EES desta categoria é em suma de forma autogestionária, democrática e solidária, apesar de apresentarem especificidades de empreendimento para empreendimento devido as variáveis econômicas, apoio público, qualificação e a própria história de vida dos associados. Diante do exposto, o referido trabalho tem como objetivo realizar uma análise do processo de organização e da Associação de Recicladores das Águas Linda (ARAL), localizada em Belém, Pará, através dos princípios da Economia Solidária, identificando se a mesma se configura como Empreendimento Econômico Solidário. Para realização do trabalho fez-se necessária a utilização de metodologia qualitativa do tipo explicativa descritiva, visto que, trata-se de um estudo de caso especifico o qual pretende-se fornecer informações acerca da associação referida. Os resultados da pesquisa demonstram que os catadores agindo de forma coletiva através de um EES contam com melhores condições de trabalho, mais organização segurança. Realizam um trabalho de forma autogestionária onde todos os associados do empreendimento desempenham funções cruciais para a realização do mesmo. Adotam esta forma de trabalho informal por necessidade e ainda enfrentam muitas dificuldades perante a restrição do mercado de venda de materiais recicláveis e as dificuldades impostas a migração de associação para cooperativa.

Engenharia e gênero/perspectiva feminista na engenharia

  • Kally Lopes da Silva, Maria Fernanda Cabral Ribeiro
    9

    Resumo

    A Coordenação de Mulheres do Centro Acadêmico de Engenharia Elétrica da UFRN foi criada com o objetivo de empoderar as estudantes, elaborar propostas para chamar cada vez mais mulheres para as ciências exatas e tecnológicas e, principalmente,  conscientizar a todos e todas sobre os machismos reproduzidos na área, atuando por meio de debates, minicursos, oficinas e intervenções. Todas essas iniciativas partiram da pesquisa “Vivência de Mulheres das Exatas e Tecnológicas da UFRN” desenvolvida pela Coordenação de Mulheres. Tais iniciativas foram cruciais para aumento da participação das mulheres dentro das atividades acadêmicas do próprio curso e para sedimentar um ambiente menos hostil às mesmas. Por fim, dar visibilidade às realizações descritas neste documento é imprescindível para incentivar mais mulheres, através da representatividade e das situações aqui expostas, a continuarem na área, produzirem conhecimento científico e atuarem no mercado de trabalho.

Universidade, formação na engenharia e educação

  • Henrique de Oliveira Santos Vieira Jesus, Luciana Ferreira Machado, Jaciára Roberta da Conceição Barbosa

    Resumo

    O objetivo é apresentar o conhecimento construído acerca de Tecnologia Social na disciplina Teoria Crítica da Tecnologia, no âmbito do Curso de Mestrado Profissional de Tecnologia para o Desenvolvimento Social da UFRJ. Com base no referencial da Teoria Crítica da Tecnologia, este estudo exploratório e qualitativo, construído a partir de pesquisas documental e bibliográfica, sustenta que o conhecimento construído sobre a Tecnologia Social está relacionado à promoção de ações coletivas sobre processos de trabalho, as quais, em contextos favoráveis à propriedade coletiva e acordos legitimadores do associativismo, criem condições para controles autogestionários e cooperações voluntárias e participativas que viabilizem mudanças nos produtos criados e passíveis de serem apropriados mediante a decisão coletiva. Conclui-se que a UFRJ coloca-se não como uma construtora de conhecimento limitado ao ambiente acadêmico, mas como agente social que mobiliza esse conhecimento visando à inclusão social.

  • Ana Larissa Soares Cruz, Ailton Sinézio de Jesus, Felipe Elker Ferreira Gomes, Jéssica Alencar Pinto

    Resumo

    O presente relato foi desenvolvido no intuito de disseminar as experiências das ações do Momento ITEM (Inovação e tecnologia em Engenharia de Materiais) que busca instigar discussões e reflexões interdisciplinares dentro do curso de Engenharia de Materiais, relacionando academia e comunidade externa. O Momento ITEM surge como uma ação do Centro Acadêmico de Engenharia de Materiais da Universidade Federal do Cariri que se valida sob a ótica de propiciar aos discentes do curso, uma visão critica da engenharia, para além das questões meramente técnicas que a academia proporciona como foco. Nesta perspectiva, o Momento ITEM desenvolve-se através de atividades como rodas de conversa e oficinas, buscando uma discussão horizontal e a construção de um aprendizado coletivo, baseada na interdisciplinaridade e nos saberes acadêmicos e populares. Atua na promoção da formação de graduandas e graduandos em engenharia com consciência social e da realidade brasileira e regional que se desenrola depois dos muros da universidade.

  • Resumo

    O presente trabalho por finalidade discutir a questão da avaliação da questão de resíduos sólidos em uma praia frequentemente visitada e a questão de educação ambiental dos banhistas, visando colher opiniões que que pode ser feito a para preservação do meio ambiente a partir dos usuários. Justifica-se sua concretização pela necessidade de despertar a sensibilidade dos banhistas com relação as suas ações neste lugar. O objetivo geral foi utilizar se utilizar dos banhistas para conscientiza-los sobre a questão da educação ambiental de a forma de preservação do meio ambiente e ainda levantar a questão de quem é a responsabilidade de manter a praia limpa, através de um questionário.

  • João Thiago Gusmão Rodrigues, Isis de Azevedo Bezerra, Valeska Thaísa da Silva, Igor Ximenes Alvarenga, Luciane Caroline de Souza Ferreira, Erick Perassoli da Silva, Maurício Aguilar Nepomuceno de Oliveira, Camila Rolim Laricchia

    Resumo

    O espaço comum do ensino de engenharia segue limitante para a formação do estudante. Na sala de aula convencional, é comum aos cursos de engenharia, o estudante receber uma massa, amorfa, enorme de informações que agrupa os conhecimentos da engenharia em caixas isoladas, e os cursos consideram a habilidade ou competência de juntar essas informações como algo inato ao estudante, não pensando um espaço pedagógico que contemple esse exercício. O que tem se mostrado um grande erro, pois os estudantes têm dificuldade de correlacionar essas informações com a realidade em que vivem e com as informações recebidas nas outras disciplinas, com isso boa parte dessa informação recebida será perdida rapidamente. Neste trabalho será mostrada uma forma de superar estes entraves que prendem a educação de engenharia no Brasil como uma formação para o mercado de trabalho, com caixas estanques do conhecimento que colocam as caixas disciplinares sem um diálogo transdisciplinar real, e como realizar um diálogo teoria e prática com uma lógica dialética. O presente trabalho tem como objetivo refletir sobre o modelo de ensino de engenharia e suas implicações na formação do estudante e na transformação social, analisando uma experiência prática vivenciada na disciplina de Aprendizagem por Projetos no curso de engenharia da Universidade Federal do Rio de Janeiro campus Macaé.

  • Maria Carolina M. Lima, Marina Freire de Oliveira, Paula R. A. Alves, Natália Táboas da Costa, Ricardo F. Mello, Vagner Augusto dos Santos da Silva

    Resumo

    O presente trabalho é um esforço de estruturação de conceitos-base e metodologias que guiam um programa de extensão tão antigo quanto o PAPESCA e que passa por uma renovação. Constitui-se de uma reflexão sobre o trabalho desenvolvido de enfrentamento aos processos de desterritorialização, supressão da identidade, da cultura e do protagonismo local. Especificamente, trata de um reduto especial, o Canto de Itaipu, um território em processo de encarceramento e marginalização de sua comunidade de pescadores e povos tradicionais. Sendo estruturante a interdisciplinaridade na trajetória do PAPESCA, o presente artigo traz o olhar de uma engenharia engajada sobre como o desenvolvimento local pode fortalecer a autonomia comunitária, a mobilização local produtiva e socioambiental, e gerar condições para que ocorra um ‘arrasto de empoderamento’ no enfrentamento de condições precárias impostas pela aviltante concentração e centralização do capital.

Engenharia para agricultura familiar e agroecologia

  • Lorena Monteiro Soares

    Resumo

    O presente trabalho teve por objetivos analisar sistemas agroflorestais já existentes a fim de se concluir se é uma boa alternativa para os grandes e pequenos agricultores. Justifica-se sua pesquisa pela necessidade de redução no desmatamento para a agricultura tendo em vista que está é um dos maiores causadores dos impactos ambientais enfrentados hoje.

  • Lucas Silva Pereira, Luciana Silva Nascimento, Ramôn Wylken Pantoja de Miranda, Caroline das Graças dos Santos Ribeiro

    Resumo

    A agricultura familiar é um modelo de produção de bases indígenas com foco na agricultura de subsistência dos recursos genéticos naturais, mas que se popularizou na sociedade moderna e possibilitou fonte de renda às famílias sem viés econômico, o que concebeu a institucionalização de políticas públicas como o PRONAF, o PROINF e o PNAE. Logo, o objetivo do presente artigo é verificar a evolução da agricultura familiar, a partir da análise do Censo Agropecuário 2017 em contraste ao Censo Agropecuário 2006, com base no ecodesenvolvimento amazônico, o qual decorre pela inserção de políticas públicas que visam à manutenção e o progresso do modelo de produção.

  • Mavie Silva Lopes Araujo, Caio Batista de Almeida França, Victor Hugo Martins Torres

    Resumo

    Com o intuito de reduzir o gasto de recursos naturais no agronegócio e incentivar um cultivo consciente, o projeto tem como proposta prioritária possibilitar um plantio eficiente, autossuficiente e econômico através de uma estrutura que contribua para a captação, armazenamento e filtragem da água pluvial e um sistema automatizado que permita a distribuição da água captada para ser usada tanto no plantio quanto no controle do ambiente e suas características. A etapa de desenvolvimento visa especificar as etapas do processo como um todo e especificar os materiais e metodologia empregados. Na etapa de avaliação, foi feita uma análise da economia mensal em uma região do estado do Pará. Por se tratar de um sistema de baixo custo e ampla versatilidade, ele pode ser aplicado à agricultura familiar por não requerer um conhecimento técnico avançado do usuário, contribuindo também como uma solução para o combate à fome.

  • Antônio Gabriel Lessa Soares, Adna Caroline Vale Oliveira, Eliseu Melo Carvalho Lacerda, Isadora Machado Marques, Ícaro Thiago Andrade Moreira

    Resumo

    A busca por soluções alternativas para a atual conjuntura mundial onde a precarização da
    agricultura familiar vem crescendo e em contrapartida as civilizações em todo o mundo aumentam o consumo
    de alimentos, gerando impactos ambientais ao solo devido a inserção de nutrientes em demasia, reforça a
    necessidade da produção de biofertilizantes que estimulem agricultura familiar e não sejam prejudiciais ao
    meio ambiente. Com isso iniciam-se buscas que visam alternativas menos agressivas ao ecossistema e a
    humanidade. As microalgas são alternativas para este problema principalmente as microalgas como a que
    podem ser cultivadas em águas residuais urbanas sendo uma opção menos custosa para uso do meio de cultura.
    As microalgas têm vantagens em relação a outras culturas por não usarem terras férteis para o seu cultivo e
    água potável, absorvem os nutrientes contidos na água utilizando-os em sua biomassa que pode ser utilizada
    para a produção e vários bioprodutos como os biofertilizantes. Os biofertilizantes são compostos por
    microrganismos vivos que aumentam a fertilidade do solo e o crescimento das culturas favorecendo assim toda uma cadeia produtiva de incentivo a agroecologia e a agricultura familiar. O presente trabalho teve como objetivo avaliar o potencial da biomassa microalgal como um biofertilizante para a agricultura familiar, tendo como fonte de nutrientes a água residual do rio Camarajipe. A biomassa seca quantificada em água residual do rio Canarajipe foi de 1,62g, já a microalga cultivada em meio de cultivo gerou 1,24 g de biomassa seca. Portanto o rendimento da biomassa gerada para utilização como biofertilizante foi maior na microalga cultivada na água residual e a biomassa gerada mostrou-se adequada como biofertilizante devido aos seus nutrientes absorvidos da água residual.

Energia, sustentabilidade, meio ambiente e sociedade

  • João Victor Santana

    Resumo

    O aumento da frota de veículos das grandes cidades tem levado os centros urbanos a um estágio de imobilidade, tornando necessárias constantes modificações na estrutura das metrópoles. Os impactos ao meio ambiente e aos indivíduos têm se intensificado, tendo nítida relação com o crescimento do número de veículos em circulação. Este artigo propõe uma análise do crescimento da frota de veículos no município de Belém – PA entre os anos de 2009 e 2018 e seus possíveis impactos ao meio ambiente. Em relação a metodologia, coletouse dados sobre a frota de veículos e realizou-se levantamento bibliográfico. Os resultados apresentam crescimento na frota total de veículos, sendo os carros e as motocicletas os maiores responsáveis por este aumento. Assim, tais resultados apontam para inúmeros impactos ambientais, como aumento da emissão de gases, geração de resíduos e impermeabilização do solo. Entre os problemas sentidos diretamente pela população, têm-se a poluição sonora e a possível criação de uma ilha de calor.

  • Thatianne Maria Frota Valente, Paulo Alexandre da Silva Souza

    Resumo

    Sabe-se que é de grande importância que a sociedade saiba de que forma estão sendo usadas as fontes de energias que a sua região oferece e se estão cientes de quais são limpas, ou seja, que não agridem o meio ambiente. Diante disso, o objetivo desse trabalho foi analisar o posicionamento da sociedade da RMB em relação ao entendimento sobre as fontes de energias sustentáveis que o Estado do Pará proporciona à população. A metodologia empregada foi quali-quantitativa, realizando um levantamento de dados mediante a aplicação de questionário estruturado e composto por cinco perguntas junto com a análise e a correlação entre as questões propostas. Os resultados evidenciaram números preocupantes, pois, grande parte dos entrevistados, principalmente aqueles com baixa escolaridade, não têm o conhecimento suficiente sobre quais as fontes de energia que o Estado oferece, sendo assim, um grande dilema a ser enfrentado.

  • João Victor Ribeiro de Oliveira, Ligia da Paz de Souza

    Resumo

    O trabalho apresenta o dimensionamento de um sistema fotovoltaico para alimentação energética de uma residência, de forma a abrandar a problemática da utilização das fontes não-renováveis de energia aliando-se ao conceito de economia ecológica. A metodologia do trabalho foi desenvolvida a partir da coleta de informações nos sites da CELPA e CRECESB. O dimensionamento foi realizado com cálculos e interpretações da Resolução Normativa Nº 482, de 17 de abril de 2012, da Agência Nacional de Energia Elétrica. Como resultados, verificou-se que um sistema fotovoltaico do tipo autônomo atende à demanda da residência em questão e aos princípios da economia ecológica. Ademais, projeta-se um custo total do sistema baseado nos valores de potência e número de módulos necessários. O dimensionamento realizado no trabalho mostrou-se
    eficiente e viável, fortaleceu o uso de energia limpa reduzindo, indiretamente, impactos ambientais pela exploração demasiada das fontes não-renováveis.

  • Letícia Faria Teixeira, Thaís Yuriko Fernandes Sozinho, Mércia Mendonça da Silva, Núbia Suely Silva Santos

    Resumo

    O plástico é um material utilizado em larga escala pela indústria, no entanto seu descarte inadequado gera um grande volume de resíduos nocivos ao meio ambiente, além de reduzir o ciclo de vida do material. A economia circular propõe alternativas para extensão da vida útil do material/produto, ao mesmo tempo em que oferece oportunidades para mudanças no atual modelo produtivo em um contexto de sustentabilidade, englobando os aspectos econômicos, sociais e ambientais. Os termoplásticos e os biopolímeros, como o Poliácido Lático (PLA), são exemplos de materiais que podem ser reinseridos na cadeia produtiva por meio da reciclagem. Neste trabalho é realizada a coleta de resíduos de PLA para reciclagem e utilização como matriz polimérica em compósitos reforçados com fibras vegetais. O aproveitamento dos resíduos de PLA surge como oportunidade na elaboração de novos materiais sustentáveis.

  • Tiago Barreto de Lima, Alan Rafael Oliveira Dias, Ana Rute Pereira Alexandre, Caroline Munoz Cevada Jeronymo, Julyanna Bezerra de Oliveira

    Resumo

    Com a crescente urbanização e o desenvolvimento acelerado das cidades, vários problemas têm sido associados à mobilidade urbana, como engarrafamentos e disputa por estacionamentos, o que pode provocar interesse e/ou necessidade de mudança de modal na busca por equidade e melhor qualidade de vida. Nesse contexto, a bicicleta se apresenta como um modal alternativo para dirimir parte desses problemas, visto que proporciona praticidade, flexibilidade, economia e aumento na saúde do ciclista. Destarte, este artigo tem como objetivo analisar os possíveis modos de estrutura cicloviária que podem ser implementados na cidade de Cajazeiras-PB, a partir dos fatores que podem influenciar o uso deste modal, da análise da infraestrutura da cidade, entendendo assim qual forma de sistema cicloviário melhor se adapta para a realidade do município. Como abordagem metodológica foi utilizada a pesquisa bibliográfica abordando os três eixos principais para essa pesquisa: fatores que influenciam o uso da bicicleta, estudo dos tipos de infraestrutura cicloviária e deslocamento por bicicleta, além de pesquisas documental no acervo da Prefeitura Municipal de Cajazeiras. Com base nos estudos foi encontrado que o clima
    pode ser um dos fatores de limitação para o uso da bicicleta na cidade, apesar de o raio da cidade permitir que seja realizado deslocamentos de qualquer ponto da cidade, unindo todos os dados às características estruturais da cidade tem-se que os sistemas clicoviários que mais se adequem a cidade são as ciclofaixas e ciclorrotas.

  • Calebe Rodrigues Soares Santos, Izabela de Jesus Jesuíno, Paulo Augusto Mavaieie Jr., Tânia Domingas Cuinica Beque, Miriam Luiza Vieira Lorentz, Nathália Muguet Silva Castro, Karla Patrícia Dias da Silva, Poliana Oliveira da Silva, Timóteo Gomes Parise, Elias Sete Manjate

    Resumo

    O presente artigo tem como objetivo principal demonstrar a partir de estudos de casos e revisões bibliográficas de como os sistemas agroflorestais (SAF’s) podem gerar inúmeros benefícios socioambientais. Nos SAF's é possível coexistir a extração humana de matérias primas de usos gerais como madeira e altas taxas de produção de alimentos orgânicos, preservando a fauna e flora dos biomas manejados. Há a restauração do ciclo hidrológico local com a regularização de chuvas, umidade e, com isso o ressurgimento de nascentes d’água, recuperação dos solos para altos níveis de matéria orgânica por meio da serrapilheira e materiais retirados nas podas de manejos, que são triturados e dispostos ao longo dos SAF’s. Há a inclusão social e geração de renda descentralizada que são uma das consequências mais relevantes, pois não se fazem manejos de SAF’s sem pessoas em comunidade como protagonistas. Além disso, se mostram bem integráveis com opções de sistemas naturais de tratamento de esgotos.

  • Vanusa Carla Pereira Santos

    Resumo

    A gestão dos resíduos sólidos em Belém é uma questão complexa e urgente, pois o consumo aumenta incessantemente e a quantidade de resíduos sólidos aumenta na mesma proporção e cria o problema sobre o que fazer com o lixo produzido nesta cidade. Uma das soluções tem sido reaproveitar os resíduos, para diminuir a quantidade de lixo direcionado aos aterros sanitários e ao mesmo tempo criar uma fonte de renda para os catadores, ou seja, um programa de coleta seletiva, onde todos ganharão, além dos benefícios ambientais de uma cidade livre de lixo. A disposição incorreta dos resíduos provoca sérios problemas ambientais para a cidade e destrói o meio ambiente e os métodos de valoração econômica dos impactos ambientais são fundamentais neste processo, identificando os danos ambientais já existentes e quantificando a sua recuperação além de também trabalhar com a prevenção destes danos, com seguros ambientais, evitando assim problemas ambientais futuros. Pois a valoração ambiental corresponde a uma importante ferramenta para a gestão do meio ambiente, fornecendo elementos para valorar os bens e serviços ambientais, utilizando diferentes métodos para mensurar estes bens e serviços. Logo, o objetivo deste trabalho é discutir sobre a utilização destes métodos de valoração econômica dos impactos ambientais e a questão dos resíduos sólidos em Belém e RMB, utilizando para isto as políticas públicas, para viabilizar a coleta seletiva em Belém, através do sistema de cooperativas e associações, num trabalho conjunto dos catadores, da Prefeitura, e da comunidade. A metodologia utilizada foi de caráter qualitativo, utilizando dados empíricos para a análise de informações coletadas junto às associações e cooperativas de catadores de resíduos de Belém e RMB. Também será quantitativa, utilizando os dados coletados pelos métodos de valoração econômica dos impactos ambientais, que são fundamentais neste processo, identificando os danos ambientais já existentes e quantificando a sua recuperação e também a prevenção destes danos, que serão essenciais para a simulação dos seguros ambientais, evitando assim problemas ambientais futuros. Dados comprovam que a coleta seletiva traz uma economia significativa ao município de Belém, na questão da disposição do lixo no aterro, pois esta disposição é paga e o valor tem um impacto substancial nas contas públicas. Diminuindo esta disposição, via coleta seletiva, haverá uma diminuição nos gastos com lixo, que poderá ser direcionada a outras áreas essenciais na sociedade.

  • Murylo Augusto Ribeiro Macedo, Ruth Jemima de Oliveira Lessa, Nádia Venâncio de Oliveira, Felipe da Costa da Silva, Andréa Fagundes Ferreira Chaves, Lucy Anne Cardoso Lobão Gutierrez

    Resumo

    Os processos industriais são responsáveis pela geração exacerbada de resíduos derivados dos produtos fabricados, estes com características e composições diferentes devido ao tipo de indústria e as técnicas e tecnologias aplicadas à produção. Em razão disso, é indispensável que as fábricas e indústrias passem a contar com um Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos – PGRS e o adequado funcionamento deste. Assim, o objetivo deste trabalho foi avaliar o PGRS de uma fábrica de açaí no município de São Francisco do Pará – PA. Para isso, foi realizada a coleta de dados a partir de uma entrevista realizada com uma funcionária da fábrica, seguida de uma análise do PGRS com base na Política Nacional de Resíduos Sólidos, Lei n° 12.305/2010. Os resultados apontam que a fábrica obedece às condições estabelecidas no seu PGRS, com destinação final correta e com projetos de reutilização interno e externo, além de o Plano em si está de acordo com as diretrizes estabelecidas pela legislação vigente.